Site Tools


mandacaru

Mandacaru

Nomes científicos e populares

Cereus giganteus, Cactus grandiflorus, Cereus jamacaru DC.

Popularmente conhecido como mandacaru, jamacaru, cardeiro, urumbeba, urumbeva, saguaro (espanhol, inglês, italiano, português), cactus saguaro (francês), saguaro kaktus (alemão).

Informações Botânicas

Planta da família das Cactaceae, gênero cactus. Arbustiva, xerófita, nativa do Brasil, disseminada no Semiárido do Nordeste.

Nasce e cresce no campo sem qualquer trato cultural. A semente espalhada pelas aves ou pelo vento, não escolhe lugar para nascer. Até sobre telhados de casas rurais pode-se ver pé de mandacaru. O crescimento fica na dependência dos nutrientes do solo em que germina. A espécie típica do Bioma Caatinga pode atingir 5 até 6 metros de altura. Adaptada a viver em ambiente de clima seco, com quantidades de água reduzidas, suas folhas se transformaram em espinhos que são elementos de defesa frente aos animais herbívoros.

Suas raízes são responsáveis pela captação de água no lençol freático. O caule ou tronco colunar serve de eixo de sustentação e sua parte central, o miolo, contém vasos condutores da água e outras substâncias vitais à planta. Lateralmente ao caule, saem peças articuladas facetadas cuja morfologia lembra um candelabro. A parte externa seja do tronco ou das brotações laterais, é protegida por uma grossa cutícula que impede excessiva perda de água por transpiração. As flores desta espécie de cacto sãobrancas, muito bonitas e medem aproximadamente 12 cm de comprimento. Desabrocham à noite e murcham ao nascer do sol. Alimentam as abelhas, especialmente de arapuá. Seus frutos têm uma cor violeta forte, um formato elipsoide, alcança 15 cm de comprimento e 12 cm de diâmetro em média. A polpa é branca com sementes pretas minúsculas, que servem de alimento para diversas aves típicas da Caatinga, a exemplo da gralha-cancã, popularmente conhecida por canção, e periquitos da Caatinga.

Princípios Ativos

ácido nucléico, lipídios, proteínas, resina.

Indicações e Usos

É diurética, estimulante, cardiotônica (tônica para o coração), reduz o colesterol e os triglicerídeos (segundo a pesquisa realizada no curso de Farmácia da Faculdade Integrado, o extrato do Mandacaru se mostrou mais eficiente do que o fármaco Sinvastatina e possui menos toxicidade).

Indicado para o tratamento de afecção pulmonar, problemas circulatórios, reumatismo, angina peitoral, catarro da bexiga, retenção da urina, cálculo renal (as raízes são diuréticas), infecções da pele.

Modo de usar:

- flores consumidas “in natura” ou secas. - polpa dos frutos. - caule batido em liquidificador, com água. - pomada da tintura da seiva do caule.

Também é indicada como complemento para a alimentação de animais e é importante para a restauração de solos degradados.

No Estado Paraná (UTFPR) mandacaru também abre um novo caminho para o tratamento de água e já dá sinais de redução da poluição ao final do processo. 1

Nutrientes

Toxicidade

Desconhecida

mandacaru.txt · Last modified: 2019/05/25 19:08 (external edit)