Sobre o Viveiro

Por que Viveiro?

Viveiros, tradicionalmente, são lugares adequados ao crescimento de mudas. O solo, a temperatura, a umidade, os nutrientes, tudo é calculado para favorecer o desenvolvimento das pequenas plantas, que um dia se tornarão árvores, flores, arbustos, cada qual de acordo com a sua espécie.

Sendo o meio ambiente favorável, todas crescerão sozinhas, sem que precise alguém lhes gritar “agora forcem o solo com as raízes!”, “desdobrem as folhas e estiquem em direção ao sol!”, “mais rápido com a fotossíntese!”, “vamos ver se aprenderam a absorver os nutrientes corretamente!”.

Parece engraçado, mas imaginem que desastre seria, tratar da mesma maneira uma muda de sálvia, que prefere crescer à sombra, e uma muda de girassol! Por mais que gritemos ou ordenemos, nenhuma das duas se desenvolverá, a não ser que lhes sejam propiciadas as condições ideais. Feito isso, basta deixá-las bem à vontade, crescendo conforme a mamãe natureza lhes ensinou.

Também chamamos “Viveiro” a esta experiência de troca de cuidados com as nossas crianças. Em parte porque o que pretendemos é criar condições ótimas para os pequenos se desenvolverem, cada qual aprendendo o que gosta, de acordo com a sua personalidade, no seu ritmo natural, e em parte porque os nomes “creche” e “escola” arrastam consigo uma legião de significados pejorativos, remetem a métodos coercitivos e práticas de tortura, que preferimos nem evocar!

Assim nenhuma criança torcerá o nariz quando lhe disserem “vamos ao viveiro!”, porque não haverá diferença entre aprender, brincar e viver!

Como funciona?

Nossos métodos seguem a máxima da natureza: o mais simples é também o mais eficaz.

As crianças passam algumas horas por dia juntas, sob o cuidado de casais de adultos que se revezam aos pares, e têm acesso a uma miríade de objetos como instrumentos musicais, lápis coloridos, papel, água, terra, blocos de madeira… donde derivam as diversas atividades: musicalização, pintura, jardinagem, construção de brinquedos…

Os ambientes também são diversificados, pois acreditamos que estímulos diferentes favorecem a descoberta das aptidões naturais de cada um, que é um passo importante no processo de individuação.

Oferecemos uma alimentação a base de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos e frescos. Nenhum produto industrializado, nem de origem animal, nem açúcares. Assim mantemos nossas crianças longe de agrotóxicos, hormônios, antibióticos, conservantes, estabilizantes, antiumectantes, corantes, diabetes, cáries e outros males que vêm pela boca. Além de ser muito mais saudável, elas adoram pegar bananas na penca, colher couves na horta e procurar morangos silvestres!

Quanto ao aprendizado, acreditamos que se cada criança dedicar seus dias a fazer o que mais lhe agrada, ao longo de algum tempo se tornará muito boa nisso! Nós, adultos, é que geralmente precisamos aprender um bocado de coisas antes de ensinar nossos filhos: amor, liberdade, respeito…

No Viveiro, além de deixar as crianças à vontade para criar e descobrir mundos muitas vezes invisíveis à nossa estreita percepção, nos propomos a repensar nossos hábitos e costumes junto com os pequenos, pois eles são dotados de uma lógica e uma racionalidade intrínsecas, das quais a maioria de nós se distanciou às custas de muito dever de casa e repetições sem sentido.

Em vez de depositar nossos filhos em escolas-fábrica, optamos por cuidar deles em casa e entre amigos, pois queremos que sejam tratados como seres conscientes e dotados de vontade própria, em vez de arrochados como peças de máquina e uniformizados como personagens do sistema industrial.

Em vez de confiná-las em classes divididas por idade e capacidade de se adequar ao padrão, estimulamos a convivência entre crianças de diversas faixas etárias, com bastante atividades ao ar livre, e todos são igualmente livres para participar de acordo com suas afinidades.

No lugar de competir e conquistar, incentivamos as crianças a colaborar e compartilhar. Os maiores ajudam os menores, e cada vez se tornam melhores nas atividades a que se dedicam. Além disso aprendem a ser pacientes, justos e responsáveis.

E assim alimentamos a esperança de restabelecer o equilíbrio natural entre os seres humanos e o meio ambiente, conscientes que todos fazemos parte de um universo inexplicável, indivisível e belo.

Nosso horário semanal (de 08 às 14hs)

  • Segunda-feira: Laura e Gabriel, no sítio Arco-Íris
  • Terça-feira (à tarde): Pedro, no FicaBem.
  • Quarta-feira: Mutirão!
  • Quinta-feira: Julie e Dani, no Casulo da Vovó
  • Sexta-feira: Luar e Lucas, no Casulo da Vovó
  • Sábado e Domingo: Piquenique, cachoeira, parquinho!!!

Uma ideia sobre “Sobre o Viveiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *